Aprenda a diferenciar os materiais de construção saudáveis

Existem muitos materiais de construção que emitem certas substâncias nocivas para o ar, tanto no seu manuseamento como ao longo da sua vida útil. A utilização de materiais de construção e sistemas de construção saudáveis nos edifícios torna-se, então,  um fator importante a ter em conta, por uma dupla razão.

Em primeiro lugar, temos de ter em conta a sua influência direta na qualidade do ar interior dos edifícios. Passamos em média mais de 80% do nosso tempo. Em segundo lugar, pela segurança dos próprios profissionais que manipulam os materiais e sistemas construtivos durante o processo de construção/obra.

Mas como podemos diferenciar os materiais saudáveis daqueles que não são?

Há muitos fatores que influenciam as condições ambientais para as tornar ótimas, e, uma delas, são os materiais de construção.

Existem vários tipos de selos e etiquetas relacionadas com a saúde que podem ser atribuídos aos materiais de construção, dos quais destacamos: o certificado A+ e o certificado IBR

O certificado A+

A etiqueta ambiental francesa, Émissions dans l’air intérieur® (Emissões no ar interior), classifica os materiais de construção e produtos de mobiliário e decoração numa escala que estabelece valores- límite de emissões de compostos orgânicos voláteis, mais conhecidos como COV, com base nas normas ISO 16000. As sustâncias nocivas que avalia são:

 

  • Formaldeídos
  • Acetaldeídos
  • Tolueno
  • Tricloroetileno
  • Xilenos
  • 1,2,4 Trimetilbenceno
  • 1,4 Diclorobenceno
  • Etilbenceno
  • 2 Butoxietanol
  • Estriol

O selo A+ identifica todos os produtos que praticamente não têm emissões, enquanto o selo C, identifica produtos com valores de emissão toleráveis. As placas de gesso laminado e pastas de juntas Knauf Unik, são produtos certificados com o selo A+ e, por tanto, conseguem a máxima garantia.

O certificado IBR

O certificado IBR é atribuído pelo Institut für Baubiologie de Rosenheim. Para poder obtê-lo, são estabelecidos límites muito exigentes para diversos contaminantes para ajudar a proteger os utilizadores contra os riscos para a saúde causados pela sua manipulação ou ciclo de vida uma vez instalados.

 

Existem vários contaminantes* que são controlados nesta certificação, dos quais nomeamos alguns deles:

  • Compostos Orgânicos Voláteis (COVs): a grande quantidade de produtos químicos que estão ao nosso alcance e os diferentes materiais de construção, entre outros, favoreceram o agravamento da qualidade do ar interior. Não existe ainda uma regulamentação clara que determine a concentração máxima ou o limite para substâncias nocivas no ar em espaços fechados, tais como as habitações.
  • Radioatividade: temos claro que é fundamental a segurança perto de centrais nucleares, mas a exposição à radiação nos próprios edifícios é menos conhecida. A maior exposição à radiação deve-se às substâncias radioativas naturais absorvidas pelo organismo. Também pode ser produzida pelos próprios materiais de construção em espaços fechados, como o gás radon.
  • Biocidas: o controlo sobre os biocidas químicos é fundamental para evitar efeitos adversos na saúde das pessoas e no meio ambiente. Além disso, são cada vez mais concebidas para serem mais potentes e resistentes, o que leva a um problema de toxicidade para os seres vivos e persistência no meio ambiente.
  • Metais pesados: os metais podem ser ligeiros ou pesados e ambos podem ser tóxicos. Cerca de 14 dos metais mais conhecidos são essenciais para os seres humanos, mas também é importante controlar as suas concentrações para evitar toxicidades. Existem outros metais pesados a ter em conta, que são considerados tóxicos e contaminantes, os mais conhecidos e que devem ser controlados, na produção de materiais de construção são chumbo, cádmio e mercúrio.
  • Determinação do eluato: a elução é o processo de extração de um material de outro através da lavagem com um solvente. A determinação do eluato, seria cada uma das substâncias que migram através do leito da fase estacionária. Com esta verificação, pretende-se excluir o risco de contaminação da água devido a metais quando depositados em aterros.
  • Pó fino: As partículas finas são substâncias sólidas dispersas pelo ar criadas por processos mecânicos. Para determinar os danos que podem afetar as pessoas, são tidos em conta o tipo de contaminante, concentração, tempo de exposição e tamanho das partículas. As partículas finas entram no organismo por via aérea e quanto mais pequena, mais fundo chega nas vias respiratórias. As partículas maiores de 25 micras depositam-se no espaço nasofaríngeo, as menores a 25 micras chegam à árvore traqueobrônquica e, finalmente as partículas sob forma de fibra e comprimento até 10 micras podem alcançar o espaço alveolar e ai se depositarem. Para que isto aconteça o diâmetro da fibra deve ser inferior a 3 micras. Um produto que, numa inspeção visual, possa parecer ter grandes quantidades de pó, pode não conter nenhuma partícula que alcance os alvéolos.
  • Bifenilos policlorados: os bifelinos policlorados são compostos químicos orgânicos que podem causar um efeito adverso na saúde. Alguns destes compostos são voláteis e podem apresentar-se sob a forma de vapor no ar.

*Fonte de informação, excerto das Diretrizes do selo de verificação IBR Institut für Baubiologie Rosenheim GmbH

Knauf e o seu #ManifestoSustentável

A utilização de materiais e sistemas de construção que ofereçam uma garantia clara e um respeito por algo tão precioso como a segurança e a saúde, não deve então passar ao lado. As placas de gesso laminado e pastas de juntas Knauf Unik são as únicas do mercado com ambas certificações, o selo A+ e IBR, portanto, oferecem a mais elevada qualidade como materiais saudáveis.

Knauf é uma empresa comprometida na biohabitabilidade, que tem promovido um #ManifestoSustentável para casas mais saudáveis e sustentáveis, através de 5 pontos de melhoria, entre os quais está a promover um bem-estar focado nas pessoas. Pense nisso da próxima vez que tiver um projeto para desenvolver ou executar e escolha materiais de construção certificados como saudáveis.

 

Se quiser conhecer melhor e juntar-se ao nosso #ManifiestoSostenible

Para mais informação sobre como Knauf está comprometida  com os materiais saudáveis e sustentáveis, e o que podem estes contribuir para o seu projeto, pode consultar o nosso catálogo Arquitectura Sostenible y Biohabitabilidad

Para manter-se atualizado com todas as nossas novidades, subscreva-se no blog de Knauf

Ou na nossa newsletter de arquitetos e instaladores

Deixe um comentário